Torne-se uma força da natureza!

Lá estavam eles, mestre e discípulo, na calma tarde de outono, às margens de uma lagoa, refletindo sobre a vida. Enquanto conversavam, um inseto pousou sobre a mão do mestre e o picou. Ele interrompeu o diálogo e, delicadamente, levou o inseto de volta para a lagoa.

Retomaram a conversa e o mesmo inseto retornou, ferindo novamente a mão do mestre. Pacientemente, ele o devolveu à água.

O inseto repetiu a agressão e foi devolvido da mesma forma.

Foi quando o discípulo, inconformado com a situação, indagou:

– Mestre, ele vai continuar picando a sua mão. Não é melhor matá-lo?

Serenamente, o mestre respondeu:

– É da natureza dele picar, é da minha natureza salvar.

Insetos sobrevoam ao nosso redor o tempo todo. Estou usando o inseto como metáfora dos muitos problemas que nos avizinham diariamente. A natureza deles é nos perturbar, desorientar, confundir, desviar, distrair, obstaculizar. É da natureza dos “insetos” nos provocar.

Podemos entrar na deles e nos deixarmos contaminar, infectar e intoxicar. Podemos ceder à sua persistência. Ou, ao contrário, podemos retornar e reforçar a nossa própria natureza. Para isso, precisamos saber qual é a nossa verdadeira natureza, muitas vezes esquecida ou abandonada diante da insetolândia que nos aflige.

Esse é o ponto: muitas vezes esquecemos qual é a nossa verdadeira natureza e, com isso, somos alvos e vítimas fáceis dos “insetos” ao redor. Queremos ser bons e desenvolver muitas competências, capazes de nos destacar e fazer com que sejamos bem-sucedidos. Vamos em busca de conhecimentos e habilidades que nos capacitem, de maneira que nos tornemos mais competitivos.

Assemelhamo-nos aos insetos, quando aprendemos algo que possamos repetir todos os dias e pelo resto da vida, seja profissão, cargo ou função. Quando o que fazemos se sobrepõe ao que somos, nós nos colocamos na categoria dos insetos. Muitos caem nessa armadilha, tentando desenvolver competências que, muitas vezes, vão no sentido contrário de sua verdadeira natureza.

E qual a nossa verdadeira natureza?

Tornarmo-nos melhores como seres humanos, eis a nossa verdadeira natureza. Para muitos de nós, ser melhor pode estar relacionado com aptidões. Embora não haja nenhum problema em ampliar as capacidades, elas nem sempre nos tornam condizentes com a nossa natureza. Existem muitas inteligências excepcionais por aí que mais destroem do que constroem. A depender delas, estamos falidos como Humanidade.

Uma pessoa melhor se constrói a cada dia por suas virtudes, como a perseverança, a integridade, a gentileza, a afetuosidade, a justiça, a equidade, a humildade, a temperança etc.

Pode parecer um trabalho árduo desenvolver virtudes que nos fazem melhores, mais fácil seria recorrer às competências que nos ajudam a resolver os problemas do dia-a-dia. Ocorre que a insetolândia aumenta de tamanho a cada dia, justamente pela ausência das virtudes que teríamos de desenvolver. De nada adianta acrescentar mais uma competência no currículo com o intuito de abater “insetos” que só fazem proliferar.

Sim, a virtude soa como um trabalho árduo, mas é o que nos devolve à nossa verdadeira natureza. Um trabalho pessoal e intransferível que, ao final da jornada, nos dará muita alegria e sentimento de orgulho, além da gratidão pela sorte e primazia de tê-la aprofundado.  Vivencie e comprove!

Se inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais velho
O mais novo Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
HUmberto Neiva
HUmberto Neiva
7 meses atrás

Infelizmente, há muito que vivemos em uma sociedade intoxicada, uma inversão TOTAL DE VALORES, é latente e somos vitimas diárias desta intoxicação! Não é fácil se proteger, disto; que nos é ofertado de várias formas e em diferentes ambientes, profissional, familiar e etc… Com a globalização muitas possibilidades positivas vieram desta amplitude de comunicação e conhecimento, mas disto também adveio a proliferação rápida e multiplicativa de ensinamentos, exemplos, e vivencias muito tóxicas, trazidos por fake news e outros… Por isso mesmo eu, particularmente, enxergo na Metanoia, uma fonte de limpeza destas toxidade , uma oportunidade de nos confrontarmos com valores virtuosos por meio de reflexões construtivas… e exercícios de reconstrução das nossas virtudes. Um Olhar para dentro, um relembrar de quem nós somos na nossa Essência! Obrigado Roberto Tranjan por nos permitir nos reconstruirmos na sua fonte Inspiradora. Obrigado Metanoia por nos reabastecer hoje, e Sempre!

Mauricio Rogerio Canineo
Mauricio Rogerio Canineo
7 meses atrás

Meu querido Roberto, este foi um dos melhores textos que já li em suas publicacoes e reflete exatamente o mundo que vivemos. Sempre procuramos algo melhor mais pouco fazemos para contribuir para que o mundo seja melhor e que as pessoas que nos rodeem sejam melhores. Realmente temos que aprender a nao ser insetos.

Grande Abraco

Mário Wilson Nunes de Oliveira
Mário Wilson Nunes de Oliveira
7 meses atrás

Para conhecer alguns ” segredos” não basta a inteligência , é preciso sentir! Isso só ocorre , segundo vc ensinou, mantendo a visão no ACOLÁ apesar da insetolandia no AQUI a nos atazanar. Ao final depende mesmo de nossa postura. Belo texto, meu querido amigo.

Quem leu esse artigo também leu esses:


Vamos conversar?